domingo, 24 de junho de 2012

TACOMAX Voçê conhece?

Fonte: Transporte Publico do RN

Dando inicio a nossa coluna, vamos falar um pouco de um aparelhinho que ajudou muitas empresas, e estressou muita gente, principalmente os motoristas nos anos 80 e  90.

Daniel Silva - Transporte Público do RN

Com divulgações em seu site a FRT prometia até 15% de economia no consumo de combustível e vida mais longa para os motores.

 
Quem não lembra até meados de 2007 quando as empresas instalavam um aparelho que produzia um apito chato e estressante onde servia para alertar os motorista que já estava na hora de passar mais uma macha?

Pois bem esse aparelho chato chama se TACOMAX, um aparelho responsável por alerta os motorista com um sinal sonoro pausado, ajustado para a troca de machas ou limitando a velocidade dos busões, empresas como Guanabara, Via Sul, Conceição, Santa Maria, Reunidas, Riograndense e Cidade do Natal foram as que usaram e ainda empresas como Santa Maria e Reunidas ainda se ver o tal aparelhinho ali fixado no painel do busão.

Geralmente era fixado na parte lateral ou frontal do painel, e cada empresa tolerava uma certa quantidade de números passados no final de cada turno chegando a algumas empresas a apenas 1 numero somente.
As extintas empresas como Cidade do Sol, e Trans flor, também usaram essa coisa, mais abandonaram quando surgiram as empresas substitutas atuais. A Guanabara em uma conversa com o chefe de manutenção, afirmou que baniu de forma definitiva o tal aparelho onde estressou muito motorista, mais que trazia grandes resultados.

A Cidade do do Sol foi a única a morres com seus carros com o Tacomax.

Nos anos em que o aparelho reinou absoluto como tecnologia de ponta e de fácil instalação, os Busões eram identificados com um adesivo na traseira com os dizeres,"Equipado com Tacomax",e eu lá sabia o que era aquilo ! mais era sim uma forma das empresas limitarem velocidade e diminuir custos com combustível entre outras como a segurança dos passageiro uma vez que o busão era limitado para dá uma certa velocidade final, isso ia de acordo com o controle de cada empresa, exemplos :

A Guanabara limitava sua frota a velocidade final que é até os dias atuais é de 60km/h, sendo advertidos quando ultrapassava os limites acusados no aparelho.

Santa Maria e Reunidas limitavam seus carros a 80km/h e hoje é de 60km/h, entre empresas rodoviárias e metropolitana até a Barros entrou na brincadeira tendo carros ainda em circulação com o furo no painel do acusando que ali reinou oTacomax.

O kit vinha com um adesivo muito visto nas traseiras dos busões nos anos onde reinava o tal Tacomax.

Outras empresas não vingaram com esse aparelho por se tratar de controlar diariamente sempre em saídas e chegadas nas garagens, e como toda a garagem é um Deus nos acudam na hora da chegada e saída acabavam passando despercebido o controle do aparelho pois por lei não é obrigatório o uso do Tacomax em frotas de ônibus e sim de controle interno.

Mais como funcionava o tal coisa chata o TACOMAX?

Pois bem... O aparelho é dotado de um pequeno painel com números que marcam o limite excedido e é fixado no painel, alguns virados para o motorista ou na lateral do painel e com um tipo de fone que produzia um barulhinho chato mais chato e fino que perturbava todos os que estavam dentro do ônibus e que ficava perto do painelzinho com os números, o mesmo era ligado por meio de uma cabo ao alternador do busão que quando aumentava a rotação conhecida como "RPM" Rotação Por Minuto, chegava ao sensor do Tacomax que estava regulado para se acionado em determinada RPM então vinha o aleta sonoro que significava a hora de maneirar na velocidade ou trocar de macha, o funcionamento se dava da seguinte forma. O motorista ao dá a partida acelerava, quando o contra giro que é um aparelho que vem já de fabrica no painel dos busões  que mostra a RPM chegava a um certo limite, vamos limitar a 2.100 RPM que é o padrão que a Guanabara usava em sua frota para veiculos de 5 machas a frente, batia nesses 2.100 RPM o censor
mandava o aleta para o auto falante do Tacomax onde emitia o sinal sonoro e se o motorista continuasse acelerando de forma crescente a ponto de ultrapassar o limite de 2.100RPM, um numero passava no marcado do Tacomax e era dessa forma que as empresas controlava os motoristas que excedia os limites impostos pelas empresas que era de diminuir despesas entre outras, e adverti lo para não cometer o mesmo excesso.

Vamos dá um exemplo a Guanabara, essa empresa limitava sua frota a velocidades de 60km/h e o limite para a troca de machas era de 2.100 RMP, pois já era para que o busão atingisse a velocidade de 60km/h em 5º macha o Tacomax entrava em ação, no caso da Reunidas e Santa Maria o limite era de 2.500 RPM  levando os busões a velocidades de 80km/h, isso para busões de 5 machas, mais é apenas alguns exemplos, pois alguns veiculos como os VW Volkswagen não aceitavam o aparelho limitando o a rotações relativamente baixa as que são comparadas a busões MBB Mercedes Benz, por isso as empresas preferiram por muito tempo os motores da marca Mercedes Benz por aceitar e resistir as condições mais severas do que o VW.

Benz que apresentou em meados dos anos 2000 sua geração eletrônica de motores Euro III.

Aposentando assim o tão conhecido e chato aparelho Tacomax  que foi usado em motores de modelos como MBB OF 1721 e motores mais velhos como OF 1620/OF 1618 ...E outras marcas que usavam o arcaico bico injetor.
                                 Foto/Daniel Silva
Nesse caso o Tacomax ficava fronta ao motorista ao lado do Contra giros do Busão.
Então é isso pessoal, são curiosidade e lembranças de um tempo que mostra a evolução e a busca das empresas por melhores desempenhos e custos, e dessa forma a tecnologia e o bom censo unidos tenta trazer sempre o melhor para empresas, empregados e passageiro tentando assim viver em harmonia por um bem comum, contribuindo sempre para o meio ambiente menos poluído, que venha outras tecnologias que mostrem que o Homem esta tentando sim melhorar o lugar onde vive para deixar algum legado para futuras gerações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário