terça-feira, 31 de julho de 2012

Ônibus ganham alarme contra assalto


 Ônibus ganham alarme contra assalto
Trezentos ônibus que circulam por Natal passam efetivamente a contar com o chamado "botão do pânico", mecanismo que alerta o Centro Integrado Operações de Segurança Pública (Ciosp) sobre ocorrências de assalto nesses veículos. De acordo com Augusto Maranhão, diretor do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município do Natal (Seturn), até o final deste ano serão 800 veículos instalados com o equipamento. Nastagnan Batista, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN), elogia a iniciativa, mas discorda da divulgação do sistema na mídia. "O motorista se torna um alvo mais frágil", alega Nastagnan.

O major PM Carlos Macedo, diretor do Ciosp, explica que o botão está instalado em determinados pontos do ônibus, não divulgados, e pode ser acionado pelo motorista, o cobrador ou colaboradores das empresas, todos já devidamente treinados. Ao ser ativado, o equipamento faz soar um alerta na central de monitoramento do Ciosp e imediatamente mostra a localização exata do veículo em um mapa exibido em uma tela da sala. Além disso, aparece no chamado a placa, a linha do transporte, a empresa e a hora da chamada. "Esses dados serão transmitidos para o GPS [sistema de posicionamento global] da viatura mais próxima do local. Assim esperamos diminuir bastante o tempo de resposta a essas ocorrências, reduzindo-as consideravelmente".

Ainda conforme Carlos Macedo, serão instaladas também três câmeras nos ônibus, que permitirão à Polícia assistir em tempo real o que está acontecendo no veículo que acionar o mecanismo. "Isso pode até servir de material para as investigações, caso não consigamos prender os criminosos na ocasião".

A utilização do equipamento foi oficializada ontem, com a assinatura do convênio entre a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) e Seturn, feita na sede do Ciosp. Para Augusto Maranhão, esse "é um passo importante para diminuir a ocorrência de assaltos em nossostransportes, permitindo até que o motorista possa prevenir esses crimes. Pois esses profissionais sabem reconhecer quem irá praticar o delito, muitas vezes, quando o indivíduo ainda está subindo no ônibus". Segundo o assessor do Seturn, somente este ano já ocorreram mais de 160 desses crimes em Natal. "Os meses mais críticos foram janeiro e agora, julho, com quase 30 em média".

Nastagnan Batista, do Sintro, reconhece que a medida traz "a certeza de que algo está sendo feito para diminuir esses crimes". Porém, ele discorda de o governo ter dado publicidade ao sistema. "O bandido agora vai saber, ao ver o adesivo nos ônibus, que aquele veículo tem o botão. Então virá com toda raiva, com muito mais violência. O governo deveria ter mantido o sigilo, pois aí seria uma surpresa para o criminoso".

Prefeitura perde prazo para se posicionar sobre aumento

Acabou o prazo e a Prefeitura de Natal não se pronunciou na Justiça sobre o novo pedido de reajuste da tarifa de ônibus, feito pelo Seturn. O prazo dado pelo juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Geraldo Antônio da Mota, era de cinco dias contados a partir do dia 16 passado e venceu desde segunda-feira passada. Agora, a secretaria da 3ª Fazendo Pública vai certificar o decurso de prazo no processo e encaminhá-lo para a decisão do juiz.

O procurador geral do município, Francisco Wilkie, alega que o município até agora não foi notificado sobre a decisão do magistrado, e só tomou conhecimento por meio da imprensa, mas disse que o processo deverá ser distribuído para um procurador que já foi orientado sobre o que vai fazer. Ele voltou a afirmar que a questão do aumento é uma decisão que passa pela prefeita Micarla de Sousa.

O juiz Geraldo Antônio da Mota já havia indeferido requerimento anterior do Seturn, que angariava um aumento na tarifa dos atuais R$ 2,20 para R$ 2,36. Além da revisão da tarifa praticada no setor, foi requerida avaliação segundo os custos efetivos do serviço e a observância da regra da anualidade do reajuste tarifário. O Seturn, representando as empresas, pediu ainda uma indenização no valor de R$ 389 milhões, sendo R$ 265,6 milhões advindos do pedido de indenização em razão de defasagem tarifária. Além disso, o Sindicato e as empresas visam discutir a necessidade de reajuste existente em outra ação também em trâmite na 3ª Vara da Fazenda Pública.

No dia 31 deste mês, os empresários de transporte coletivo deverão entregar à prefeita Micarla de Sousa uma nova planilha de custos com o impacto do recente aumento no preço do óleo diesel e do reajuste salarial dos trabalhadores, fruto do último movimento grevista. A intenção do Seturn, segundo o diretor Augusto Maranhão, é pedir o aumento de, pelo menos, 2,36%, já previstos na planilha anterior, ou obter a redução e isenção de impostos de ICMS e ISS. "Ou a Prefeitura aumenta a passagem ou concede isenção dos impostos", disse Maranhão.

Com a elevação do preço do diesel, o litro do óleo ficou com um acumulado de 8% e implica num aumento de pelo menos R$ 170 mil/mês nos custos das empresas. Por outro lado, o reajuste de 6,53% concedido aos motoristas e cobradores, em maio passado, também tem contribuído para o aumento dos custos na planilha.

Fonte: Diário de Natal

Nenhum comentário:

Postar um comentário