segunda-feira, 6 de agosto de 2012

UNIBUS RN: Os articulados de Natal

Fonte UNIBUS RN


Praticamente essenciais no setor de transporte das grandes cidades devido a grande capacidade de passageiros que podem estar embarcados em uma viagem, os articulados são, sabidamente, a maior solução e melhor investimento para a locomoção das massas via ônibus. Problemas e dificuldades ainda são comuns, sobretudo na mobilidade urbana, mas ainda assim, com adequação de linhas e roteiros, os articulados cumprem, com eficácia, seus papéis. Não é de hoje que eles fazem parte da frota natalense. Assim, o Especial UNIBUS RN de hoje apresenta os articulados de Natal!


Também conhecidos popularmente como ‘sanfonados’, o ônibus articulado é um veículo de transporte coletivo com um reboque traseiro, cujo acesso é feito por um sistema de sanfona. O primeiro ônibus articulado fabricado no Brasil foi produzido por volta de 1978, com chassi Scania B111 e carroceria Gabriela, da montadora Caio. Na mesma época, foram introduzidos também ônibus rodoviários articulados, que foram testados por grandes empresas como Viação Garcia e Auto Viação Catarinense; entretanto, o resultado dos testes não foi satisfatório e o conceito do ônibus rodoviário articulado foi abandonado no Brasil.
Dados: Wikipédia

Semelhante a capitais do mesmo patamar, como João Pessoa e Maceió, Natal teve grande desenvolvimento na década de 80. O desenvolvimento se adéqua também ao setor de transportes. Apesar de a primeira empresa urbana ter iniciado as atividades em 1969 (Transportes Guanabara), os anos 80 foram cruciais para o sistema de transporte, fazendo com que as linhas e rotas fossem devidamente estruturadas, a perdurar pelos anos que viria a frente e pudessem, até hoje, fazer o usuário se locomover sem tantas dificuldades (desconsiderando intempéries do trânsito).

E na história do transporte do Rio Grande do Norte, uma empresa se destaca, principalmente, pela sua ousadia: Viação Cidade do Sol. A empresa foi audaz em todos os sentidos, até mesmo quando encerrou suas atividades – em meados de 1997; vendendo as linhas em Natal, partindo para a região metropolitana (sendo criada a Trampolim da Vitória) e voltando a se estruturar no transporte coletivo de Mossoró, segunda maior cidade do Estado. As inovações se seguiram na Trampolim da Vitória e na Cidade do Sol, como bem podem ser vistas e reconhecidas atualmente.

Enquanto Cidade do Sol em Natal, um dos maiores passos da empresa foi à compra de ônibus articulados para a cidade, no início dos anos 90. Natal vivia, declaradamente, seu inchaço social. Época em que, para a maioria da sociedade em ruins condições financeiras, possuir um automóvel era extremamente difícil, atrelado ao crescimento da população – que ansiava e necessitava estudar e trabalhar, dependendo essencialmente da locomoção por transporte. Uma união perfeita também para as empresas de ônibus que pretendiam crescer. Com esta situação, vimos à única empresa que foi oportunista ao ousado nível de adquirir ônibus sanfonados.

Assim, foi trazido o primeiro ônibus. De acordo com informações não confirmadas, este primeiro, um ônibus para teste. Teoricamente, veio conferir se Natal teria condições de abrigar os articulados. O modelo trazido foi um Vitória, com pintura amarelo-creme e azul. Não se sabe se o ônibus já era adequado a testes e cedido pela encarroçadora, por exemplo. De qualquer maneira, o ônibus foi aprovado no teste.


Era hora de comprar os articulados da fábrica, zero quilômetro. Assim foi feito. A escolha foi pelo modelo Padron Rio, da montadora Ciferal. A opção de chassi foi pela Volvo – com popularidade em alta, naquela época. Apesar de também não se confirmarem as informações, foram adquiridos dois ônibus. Em parceria com a Cidade do Sol, a Ciferal fez questão de produzir um outdoor anunciando a chegada do ônibus articulado na cidade. Todos os modelos trazidos pela Cidade do Sol foram direcionados a linha 37 – Cidade Satélite/Ribeira - Via Praça. Acredita-se que tanto pela mobilidade da linha, quanto pela alta demanda – que a linha tem ainda hoje, atualmente operada pela Santa Maria.


Os veículos se aposentaram cedo. Sabe-se que os gastos com os ônibus eram grandes, e, diante da então realidade brasileira com o alto índice de inflação, a operação se tornara prejudicada, uma vez que a tarifa já era considerada defasada. A determinação do então prefeito Aldo Tinoco em diminuir o valor da tarifa no inicio de seu mandato e congelar o valor pelos quatro anos de sua gestão, teria sido o fator crucial para a retirada da operação dos ônibus articulados.

A volta dos articulados é recente, se deu em 2011. 19 anos se passaram até que Natal voltasse a ter ônibus articulado. Nesse tempo, praticamente tudo mudou. A sociedade aumentou e avançou intelectualmente, passamos a ter melhor estrutura financeira; o sistema de trânsito e transporte da cidade também sofreu alterações, resultado do crescimento desordenado da cidade e, principalmente, pelo enorme número de veículos de passeio que ganharam as ruas, consequência da melhora financeira vivida pelo país. No transporte, especificamente, avanços como a bilhetagem eletrônica, motores menos poluentes e mudanças no interesse de locomoção dos natalenses, a ponto de ser proposta uma licitação de transporte urbano para harmonizar o contexto da sociedade atual.

Agora, com locais que se tornaram novos centros de interesse do natalense – seja por trabalho, estudo, diversão – foi muito mais que oportunismo que fez a empresa Reunidas trazer articulados para Natal; oportunismo atrelado a gigante necessidade via transporte entre a ligação das zonas norte e sul da cidade, trecho deve contar cada vez mais ônibus mais estruturados ao transporte das massas. Uma coisa é unânime entre especialistas de ônibus do estado: a linha 73 – Santarém/Ponta Negra está entre as melhores da região metropolitana de Natal. Todo o trajeto tem extrema mobilidade, se comparado com outros pontos da capital. Sua demanda também é imensa. A linha tem, atualmente, média de 25 ônibus, todos de grande porte. Os articulados se adaptaram extremamente bem à linha.

 

Com o modelo Viale, da Marcopolo, e chassi Mercedes-Benz OF 1722, os dois ônibus articulados foram comprados. Fixados desde que entraram em operação na linha 73, já até houveram boatos que os ônibus seriam remanejados para outra empresa em João Pessoa-PB - onde o grupo que administra a Reunidas também tem empresas - o até agora não se concretizou. Além deles, a linha conta com 12 veículos três eixos.


A questão faz refletir sobre o não investimento de articulados na empresa Santa Maria – do mesmo grupo da Reunidas – e que, anos antes, ainda que pela Cidade do Sol, mostrou ser possível colocar ônibus desse porte em pelo menos uma linha da empresa.

Para o futuro, é esperado, já com a licitação, que venham mais modelos de ônibus articulados para Natal. Há a promessa de investimento em obras de mobilidade urbana, especialmente com corredores exclusivos para ônibus, o que viabilizará ainda mais o investimento em ônibus de grande porte; a maior, melhor e mais ágil solução no transporte da população. Viva o BRT!



Por Thiago Martins
Colaboração e agradecimentos: Gino Costa, Michael Pontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário