domingo, 12 de agosto de 2012

VIAÇÃO RIOGRANDENSE, TRANSPORTANDO CLIENTES DESDE 1951


Por Helckton Fernandes, com informações de Alexsandro Azevedo. ( Natal Buss )

Como falar do transporte natalense sem falar da Viação Riograndense? Empresa pioneira no transporte de passageiros no Rio Grande do Norte, a Riograndense leva passageiros da capital ao interior do estado desde a segunda metade do século passado, mais precisamente em 1951 quando a empresa foi fundada.
                O começo de tudo: Natal / Nova Cruz. Operando com apenas um carro e realizando três viagens por semana, a linha era um dos principais trajetos para o interior do Rio Grande do Norte.  Mas a Riograndense viu que não existia apenas Nova Cruz, e viu que dava para tirar proveito das cidades em volta e com isso a empresa passou a atender também as cidades de Brejinho e Santo Antônio, municípios que ficam entre Nova Cruz e a capital potiguar, Natal. Seu segundo ônibus operava a linha Natal / Santo Antônio, já para servir de reforço para os passageiros que desembarcariam antes de Nova Cruz. Para pagar seu primeiro ônibus 0 km (terceiro da empresa), ela foi além dos limites do estado, e começou a fazer a linha Natal-RN / São Paulo-SP, mas por ser uma linha muito longa na época (14 dias de viagem ida e volta) a empresa desistiu e resolveu operar linhas dentro do estado. Nesses primeiros 10 anos de operação, a empresa comprou alguns Monoblocos Mercedes-Benz O-326 e aproximava cada vez mais o pessoal do interior para Natal.

 O Início de tudo: os Monoblocos MBB O-326

                Nas décadas de 60 e 70, a VR ganhava seu espaço no setor dos rodoviários tanto é que durante esses 20 anos, já tinha aderido alguns Nielson Diplomata encarroçados sobre o chassi Mercedes-Benz OF-1313. Foi com essa compra que a busca pela qualidade começou. A partir daí, a empresa preferia comprar Nielson (que posteriormente viraria Busscar). E é dito e feito, tanto é que na década de 80 a empresa repetiu a compra e trouxe vários exemplares de Nielson Diplomata 310 (Mercedes-Benz OF-1315) e posteriormente os Diplomatas 360 Volvo B58 e Diplomata 380 Volvo B10M.

 Nielson Diplomata 310, hoje desativado no Cemitério localizado na cidade de Nova Cruz/RN

                Nos anos 90 ela atinge o apogeu. Suas linhas rodoviárias estão entre as principais do estado e a Riograndense faz uma super compra. No lote vieram excelentes El Buss 340 (Scania F-113HL e Mercedes-Benz OH-1420) e os “super” Jum Buss 380 (Volvo B10M), estes últimos no serviço SUPER LEITO da empresa.

1100, veículo desativado

 900, fixo na linha Natal / Nova Cruz

 Os vários veículos no serviço SUPER LEITO, assim que chegaram, trazendo um conforto a mais para os seus passageiros.

 740, veículo já desativado

Vendo o sucesso no setor rodoviário, a Riograndense decide entrar no ramo dos urbanos, e cliente fiel da empresa catarinense, começa suas operações em Natal com Busscar Urbanus I Mercedes-Benz OF-1315. Logo após, a empresa manteve os Urbanus I, só que dessa vez sobre o poderoso chassi F-113HL da Scania e em 1996 Urbanuss II (Mercedes Benz OF-1318 e OF-1620).  Visando manter a proximidade com Macaíba (uma das principais linhas da Riograndense na época) a VR operou linhas que saíram do extremo oeste da cidade de Natal. Linhas como 59 e 63 (operadas atualmente pela Nossa Senhora da Conceição) já foram atuadas no passado pela Riograndense, mas devido a uma crise, teve que vender as linhas para a NSC e a linha de Macaíba para a Trampolim da Vitória.

Urbanus I Mercedes Benz OF-1318

Urbanus I Scania F-113HL, ainda em operação

Urbanus II Mercedes Benz OF-1318
 Urbanus II Mercedes Benz OF-1620

Depois dessa nuvem negra, em 2000 a VR dá a volta por cima e compra o seu primeiro ônibus Double Decker, seu conhecido Panorâmico DD que rodou na Natal / Nova Cruz. Além dele, ela trouxe também 10 Busscar UrbanusS Mercedes Benz OF-1721 que possuíam geladeiras e traziam um conforto maior para o passageiro. Infelizmente, como nem tudo são flores, mais uma crise veio e ela só voltou a renovar em 2008, comprando 8 Busscar UrbanusS Pluss Volkswagen 15.190 EOD (06006, 06008, 06009, 06010, 06011, 06035, 06036 e 06038) que foram distribuídas nas linhas urbanas dela (03, 28 e 45) e 2 Busscar Micruss Volkswagen 9.150 EOD (0701 e 0702) fixos na linha NATAL / NOVA CRUZ - VIA BREJINHO, que para dar um conforto maior ao passageiro, tinha ar condicionado. Em 2009 4 ônibus, deixando a Busscar e renovando com Torinos GVU Mercedes-Benz OF-1722 e por fim, em 2010 com Caio Apache Vip II Mercedes-Benz OF-1722.

Seu único Panorâmico DD, já desligado da empresa

 Foto: Acervo Viação Riograndense

 UrbanusS Mercedes Benz OF-1721

 Urbanuss Pluss 2007

 Urbanuss Pluss 2007

 Os irmãos, 0701 e 0702

 Em 2009, a inovação: Marcopolo Torino GVU

 Slogan da empresa no destino dos veículos. Apresentação de entrega da frota em 2009, no antigo Estádio Machadão

 Apresentação dos veículos 2010, feita em Dezembro de 2009, no Terminal da Empresa Nossa Senhora da Conceição em Felipe Camarão

 A surpresa: depois de Marcopolo, Caio.

Apache Vip II
Em 2011 a VR daria um susto na população: decretou falência. Um susto enorme para todos os trabalhadores do Nova Natal. Como a principal empresa do bairro não iria operar mais? Rapidamente, as empresas Guanabara (na linha 03, Nova Natal / UFRN), Via Sul (nas linhas 03 Nova Natal / Viaduto de Ponta Negra e 28 Nova Natal / IFRN) e a Santa Maria operando a 45 (Brasília Teimosa / Campus – Via Praça Cívica) colocaram seus veículos nas ruas para suprir a falta dos ônibus. Para a alegria de muitos, logo a Riograndense voltaria a operar normalmente, já que parecia que a empresa se reergueria.

 Santa Maria operando a linha 45

 Pois só parecia, pois desde o inicio da semana passada, mais uma vez ela desistiria de operar a linha 45, alegando falta de demanda e hoje, 12 de Agosto de 2012, dia dos Pais, por causa de um desequilíbrio econômico-financeiro com a Prefeitura do Natal, a Viação Riograndense decreta falência total das linhas urbanas (03, 28 e 45). Segundo o site do Jornal Tribuna do Norte, o dono da empresa, foi à sede a meia noite e levou os veículos para a “filial” da Cidade da Esperança e para a cidade de Parnamirim, Região Metropolitana de Natal.
"Chegamos para trabalhar e não vimos os ônibus. É estranho eles decretarem falência quando não houve indício de que isso ia acontecer. Eles estavam pagando nossos salários e o vale-alimentação normalmente", disse Hélio Ferreira.
Hélio também confirmou que José Venâncio Flor, dono da empresa, agendou uma reunião com os funcionários na Delegacia Regional do Trabalho (DRT) na próxima terça-feira, às 11h. Mas antes, amanhã a partir das 4h, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Rio Grande do Norte (SINTRO) vai estar na garagem da empresa em apoio aos funcionários que trabalhavam na Riograndense. Outras informações dão conta de que, as empresas Conceição e Reunidas se ofereceram para operar temporariamente as linhas do Nova Natal, mas até então, a Riograndense não deu retorno.
Esperamos que tudo ocorra bem, que haja um acordo amigável entre empresa e funcionários e que a nova empresa que poderá assumir as linhas 03, 28 e 45, faça um trabalho tão excepcional quanto o que a Riograndense fez em seu auge.

 
Viação Riograndense

Feliz Dia dos Pais para todos os pais do Brasil, em especial para os trabalhadores da empresa que não estão em um momento bom de suas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário